Teste

Fiat Palio 1.6 16V Sporting - Geração encorpada

Modelo compacto muda radicalmente depois de 15 anos, com dimensões externas maiores e espaço interno de carro médio. Desempenho e suspensão convencem; as linhas nem tanto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 21/12/2011 13:27 / atualizado em 21/12/2011 13:31 Paulo Eduardo /Estado de Minas
Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press

A primeira geração do Fiat Palio foi lançada em 1996 e foram feitas reestilizações ao longo desses 15 anos: sempre variações sobre o mesmo tema. A nova ou segunda geração, de fato, do Palio tem dimensões de veículo maior, à exceção da largura. Há espaço suficiente para pernas e cabeças de dois adultos no banco traseiro. O visual mudou radicalmente e a versão Sporting, a topo de linha, abusa do vermelho em todo o interior. Leia o teste.

Maior e melhor

O desenho da carroceria do novo Palio não empolga como o do Uno, por não ser marcante. A versão Sporting abusa do vermelho no interior e a calibragem da suspensão é esportiva


Depois de 15 anos sem alterações significativas de estilo, o Palio ressurge com manequim bem maior e torna agradável a vida a bordo. Poucos carros médios oferecem conforto para três ocupantes no banco traseiro. O Palio não foge à regra e dois adultos de estatura elevada viajam confortavelmente atrás. Se o espaço interno chama a atenção de imediato, as linhas da carroceria estão longe de empolgar e ficam no atual lugar comum Fiat, à exceção do Uno. Visto de frente, o carro lembra Punto e Bravo. As lanternas traseiras enormes seguem essa tendência e não são bonitas. O barrado escuro no para-choque, onde fica a placa de licença, não deixa a traseira caída.

Frente curta e faróis ovais como no Punto e no Bravo; bocão central e apliques alusivos à versão nas laterais - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Frente curta e faróis ovais como no Punto e no Bravo; bocão central e apliques alusivos à versão nas laterais
A versão Sporting é caracterizada por alguns adereços esportivos externos, como a ponteira dupla cromada. No interior, prevalece o exagero do vermelho em apliques diversos, incluindo os apoios de cabeça. Porém, agradam ao público. O que pode desagradar as mulheres é a calibragem pesada da direção. O Palio sempre foi criticado pela direção leve demais e com pouca sensibilidade em alta, mas nesta versão ficou pesada, apesar de estar coerente com o apelo esportivo.

CONFORTO

A suspensão, por sua vez, ficou muito bem acertada e deixa o carro à vontade nas curvas. Os pneus de perfil baixo transferem um pouco as imperfeições do piso para o habitáculo, mas suspensão firme é assim. Por isso, o comportamento dinâmico é sempre previsível em todas as situações. Os freios são muito eficientes.

DIRIGINDO

Motor 1.6 é de bom tamanho e carro chega aos 100km/h em cerca de 10 segundos - Marlos Ney Vidal/EM/D.A Press Motor 1.6 é de bom tamanho e carro chega aos 100km/h em cerca de 10 segundos
Os bancos prendem bem o corpo do motorista e a maioria dos comandos está ao alcance das mãos. O motor 1.6 dá bom desempenho ao carro e a Fiat declara aceleração até 100km/h em menos de 10 segundos, o que caracteriza esportividade. Porém, falta torque abaixo de 2.000rpm. Incomoda ainda a imprecisão quando se engatam rápido as marchas e a necessidade de esperar três segundos para colocar marcha a ré sem arranhar. O consumo de gasolina na cidade variou de 7 a 8km/l com gasolina e de 5 a 6km/l com etanol. Na estrada, o computador de bordo registrou médias de 12 a 14 km/l com gasolina e de 8 a 9km/l com etanol.

Se o espaço interno melhorou, a capacidade do porta-malas permanece inalterada em relação à geração anterior. Está dentro da média, mas exige paciência na arrumação da bagagem da família.

Tags:

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Pedro
Pedro - 21 de Dezembro às 14:10
Que consumo é esse??? LandRoover EVOQUE de 240 cavalos,é mais econômico do que esse fiat .A poucos anos , os motores 1.6 eram bem mais econômicos do que hoje.Carroça. Porque será?
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
02 de agosto de 2015
31 de julho de 2015
30 de julho de 2015
29 de julho de 2015
28 de julho de 2015