VEÍCULOS NOVOS

Airbag e ABS - Lei começa a dar resultados

Com a exigência de 30% da frota já ter airbag duplo e freios ABS este ano, montadoras começam, aos poucos, a aumentar o número de versões com os equipamentos de série

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/03/2012 10:51 Paula Carolina /Estado de Minas

A Ford incluiu itens de segurança no Fiesta a preço atraente e versão 1.0 custa R$ 35.900 e a 1.6, R$ 37.710 - Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS A Ford incluiu itens de segurança no Fiesta a preço atraente e versão 1.0 custa R$ 35.900 e a 1.6, R$ 37.710
Vem tarde, vem aos poucos, mas vem. Desde que a exigência de airbag duplo e freios ABS virou lei (Resoluções 311 e 380 do Conselho Nacional de Trânsito/Contran, respectivamente), em 2009, que o assunto passou a ser mais discutido e o consumidor – há até pouco tempo bem alheio ao tema – começou a demonstrar mais interesse na segurança (ainda que a maioria ainda prefira os itens de conforto). Só que a lei estabeleceu um prazo, até 2014, para que 100% da frota seja definitivamente equipada com freios ABS e airbags frontais. Até lá, há uma tabela gradual que varia conforme o equipamento, o tipo de veículo e o fato de ser um novo projeto ou carro já em produção. E é justamente por isso que só agora é possível começar a sentir os efeitos da medida, pois é a partir deste ano que 30% da frota deve ter, de série, ambos os equipamentos.
Versão Maxx do Chevroelt Corsa 1.4 já tem airbag duplo - Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS Versão Maxx do Chevroelt Corsa 1.4 já tem airbag duplo

 

Para os automóveis em produção, tanto no caso do airbag duplo como no dos freios ABS, a exigência de 30%, segundo o Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), não é por modelo. Basta que a frota de cada marca, como um todo, cumpra a determinação. Já os novos projetos (especialmente para os airbags) devem atender, em separado, o novo percentual. Inclusive, especula-se que muitas montadoras tenham antecipado lançamentos ano passado, para que não tivessem que se enquadrar na exigência dos 30%, em vigor desde 1º de janeiro. Assim, para muitas marcas ainda não houve diferença, pois os veículos de segmento superior e/ou as versões mais completas são suficientes para atender a lei e “compensar” a ausência dos equipamentos nas mais simples. Mas, para as que comercializam os chamados “populares, os efeitos já podem ser sentidos e ganha o consumidor.

VW Desde o início do ano, a marca passou a oferecer os equipamentos de série no Novo Gol 1.6 Power (R$ 40.260) e Rallye (R$ 43.030), Voyage Comfortline (R$ 42.910) e SpaceFox Trend (R$ 49.725). Em comunicado enviado à imprensa, na época, a própria montadora admite que “a ampliação da oferta dos freios ABS e dos airbags como equipamento de série está ajudando a reduzir o custo desses equipamentos”. O aumento no preço sugerido (tabela) dos carros foi de R$ 1,3 mil. De fato, se pedido como opcional, o kit certamente custaria mais no passado. Outra mudança da marca foi ainda em 2011, quando fez pequena reestilização no Polo, e já passou a incluir os equipamentos em todas as versões.

FORD A montadora não acrescentou nada este ano e alega já cumprir a determinação dos 30%. Ano passado, no entanto, numa jogada de marketing para enfrentar a concorrência chinesa (normalmente os veículos já vêm com os equipamentos de segurança de série), acertou em cheio ao passar a oferecer o chamado kit segurança para versões intermediárias do Fiesta Rocam por preço extremamente competitivo. Atualmente, é possível comprar um Fiesta hatch 1.0 com os equipamentos de segurança (além de ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros dianteiros elétricos) por R$ 35.900 ou 1.6, por R$ 37.710 O Sedan custa cerca de R$ 2 mil com as respectivas motorizações.

FIAT Passou a oferecer o kit conhecido como HSD (High Safety Drive) para o Punto Essence 1.6 (R$ 44.060) e 1.8 (R$ 46.580); para a versão de entrada do Idea, a Attractive 1.4 (as demais já tinham), por R$ 45.570; e para o Novo Palio 1.6 Sporting (R$ 41.310) e Sporting Dualogic (R$ 43.830). O acréscimo nos preços, segundo a montadora, foi de R$ 1 mil. Além disso, a marca reduziu em 35% o valor do kit HSD como opcional, que agora varia de R$ 1.650 a R$ 1.750, conforme o carro.

GM Ao contrário das concorrentes, a marca não fez alarde nem demonstrou interesse em responder à reportagem, limitando-se a dizer que cumpre a lei. Mas apuração junto às concessionárias constatou que foi acrescentado airbag duplo na versão Maxx do Corsa 1.4 (R$ 34.655). Além disso, sabe-se que a montadora planeja incluir o equipamento no Celta, provavelmente em abril, e já faz estudos para colocá-lo no Classic.

PEUGEOT A partir da linha 2012, airbag duplo e ABS passaram a ser de série na versão XS da linha 207 1.6 hatch (R$ 43.990) e Passion (R$ 45.990) com câmbio manual. Na automática, os freios ABS já eram de série e também foram acrescentados os airbags: hatch (R$ 46.990), Passion (R$ 48.990). Os equipamentos também são de série na 207 SW 1.6 XS, que só existe com câmbio automático: R$ 49.690.

NISSAN A picape Frontier, que já começa a chegar como linha 2013 e novo motor 2.5 diesel de 190cv, passa a oferecer airbag de série na versão de entrada XE 4x2, que não tinha, por R$ 90.990.

O mesmo fez a Fiat, a exemplo do Novo Palio Sporting: R$ 41.310 - Marlos Ney Vidal/EM/D.A PRESS O mesmo fez a Fiat, a exemplo do Novo Palio Sporting: R$ 41.310

 

Enquanto isso...
... BRASILEIRO ESTÁ MAIS CONSCIENTE

Enquete realizada pelo portal Vrum, que permaneceu no ar entre os dias 1º e 5 deste mês, mostrou que a maioria dos brasileiros reconhece a importância dos freios ABS: 39,2% responderam que preferem desembolsar um pouco mais pelo opcional; 23,2%, que procuram carros que já tenham o item de série; e 32% disseram que não podem pagar pelo ABS hoje, mas esperam pela entrada em vigor da lei em 2014 quando 100% dos automóveis sairão de fábrica com o equipamento. Apenas 5,6% não acreditam que o sistema faz diferença em relação ao freio comum.

PESQUISA
Desde 2007, o Centro de Experimentação e Segurança Viária (Cesvi Brasil) faz levantamento sobre a oferta de freios ABS no Brasil. Até novembro de 2011 (a pesquisa não considera a comercialização este ano), havia, segundo o Cesvi, 767 versões de veículos disponíveis no mercado. Destas, 67% (ou 518 versões) ofereciam o ABS como item de série. No entanto, quando analisados somente os hatches compactos, o percentual caiu para 17% (mais 38% de oferta do ABS como opcional). De qualquer maneira, houve evolução já que levantamento do Cesvi em 2008 mostrou que apenas 27,8% de todas as versões dos modelos comercializadas no Brasil, na época, tinham ABS de série.

Saiba mais
Resoluções Contran

A obrigatoriedade dos airbags duplos frontais para veículos nacionais e importados foi determinada pela Resolução 311, de abril de 2009, do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Por ela, os novos projetos de automóveis e veículos deles derivados, a partir de 2011, deveriam ter o equipamento em 10% da produção; em 2012, em 30%; e em 2013, 100%. Para os veículos já existentes, a exigência é de 8%, em 2010; 15%, em 2011; 30%, em 2012; 60%, em 2013; e 100%, em 2014.
No caso dos freios ABS, houve algumas alterações na lei, também de 2009, mas a Resolução 380, de abril de 2011, é a que está em vigor. Por ela, automóveis e caminhonetes com peso bruto total de até 3,5 mil quilos seguem o seguinte cronograma: 8% da frota, em 2010; 15%, em 2011; 30%, em 2012; 60%, em 2013; 100%, em 2014, independentemente de serem projetos novos ou veículos em circulação.
Todas as resolução que regem o assunto (311, 312, 367, 380, 394 e 395) estão no site do Denatran: www.denatran.gov.br.

VW optou por colocar o kit segurança nas versões mais caras, como o Gol 1.6 Power - Volkswagen/Divulgação VW optou por colocar o kit segurança nas versões mais caras, como o Gol 1.6 Power

Tags:

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação
600
 
Paolo
Paolo - 10de Março às 12:48
Bravo para a essa reglamentação. Mas é necessário investir também em educação, engenharia e manutenção de estradas, pois ABS e AB por si só não resolvem tudo.
Encontre seu veículo
O ano inicial não pode ser maior que o ano final.
O preço inicial não pode ser maior que o preço final.

Refinar busca

Últimas notícias

ver todas
28 de julho de 2015
27 de julho de 2015