De volta ao jogo

SsangYoung voltará a comercializar veículos no Brasil. A prioridade será o atendimento a clientes da marca

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

 

SsangYoung de volta ao Brasil - SsangYoung/Divulgação SsangYoung de volta ao Brasil

Agora, é para valer. A SsangYoung deu um passo importante para a retomada das operações em solo brasileiro. Nesta terça-feira (10/10) a montadora anunciou a chegada de quatro lotes de peças para os atuais donos de veículos da marca. A encomenda já está no Centro de Distribuição, em Salto - SP, de onde será enviada às 13 concesionárias credenciadas. 

 

SsangYoung de volta ao Brasil - SsangYoung/Divulgação SsangYoung de volta ao Brasil

A retomada

 

 Há dois anos, por causa da crise, das restrições de importação e de outros fatores, a empresa sul-coreanaa deixou o Brasil. Além de parar de importar veículos, ela fechou as portas e deixou os clientes na mão. 

 

No retorno ao país, a SsangYoung Brasil, por meio da Venko Motors pertencente ao Grupo JLJ, garante que priorizará o atendimento aos donos de 16.511 veículos vendidos em dois períodos distintos, de 1995 a 1998 e de 2011 a 2015, quando a montadora atuou em solo brasileiro. Desta vez, a empreitada durará no mínimo 10 anos, tempo de contrato da parceria entre a sul-coreana e o grupo tupiniquim — o qual poderá ser renovado por mais cinco anos consecutivamente.

A SsangYoung também promete importar quatro modelos, sendo uma picape, a Actyon Sports e três SUVs: Korando, Tivoli e XLV. Todos devem chegar no primeiro trimestre de 2018 em duas versões cada. Os valores ainda não foram divulgados. A expectativa é vender cerca de três mil unidades até o fim do ano que vem.

 

Utilitários

 

Os modelos Korando e a Actyon Sports foram os únicos vendidos no Brasil. A picape ficou conhecida pelo design nada ortodoxo e, como todos os modelos da marca, por contar com conjunto mecânico da Mercedes-Benz. A caminhonete tem opções de motor a gasolina de 149 cavalos e dois a diesel de 177 e 154 cavalos, a transmissão pode ser manual ou automática e a tração, 4x4 ou 4x2.

O Korando deve desembarcar em solo brasileiro já com a atualização da segunda geração. Para cá é possível que venha a versão topo de linha, chamada de ELX na Europa. O motor seria um 2.2 a diesel de 176 cavalos e 40,7kgfm de torque, tração integral e transmissão automática de seis velocidades. No Reino Unido, ele é vendido por 23,5 mil libras esterlinas (aproximadamente R$ 99 mil, em conversão direta e sem taxas e impostos).

Como a moda no mundo automotivo são os SUVs, principalmente os compactos, a montadora sul-coreana trará seu representante, o Tivoli. Como os irmão, o utilitário tem opção 4x4 e 4x2 — para cá é provável que venha apenas as com tração integral. O motor a gasolina é um 1.8 de 127 cavalos e 16,3kgfm de torque, a opção a diesel é um propulsor de 115 cavalos e 30,5kgfm. O câmbio poderá ser automático ou manual de seis velocidades. A versão mais em conta, na Inglaterra, custa o equivalente a R$ 55 mil sem taxas. O XLV é basicamente uma versão do Tivoli com porta-malas maior.

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
15 de dezembro de 2017
14 de dezembro de 2017