Publicidade

Estado de Minas

Sinal amarelo para o Chery QQ: subcompacto pode estar saindo de linha no Brasil

Informações de bastidores e queda contínua do volume de vendas indicam possibilidade do pequeno Chery QQ ter produção descontinuada no Brasil. Fabricante nega os rumores


postado em 23/07/2019 13:41 / atualizado em 23/07/2019 14:30

(foto: Chery/Divulgação)
(foto: Chery/Divulgação)

Sinal amarelo para o Chery QQ. Queda acentuada nos emplacamentos e informações de bastidores indicam que o modelo está prestes a ser descontinuado. O fato da Caoa Chery estar focada no lançamento de SUVs – como o Tiggo 2 (na verdade um aventureiro baseado o antigo hatchback Celer), Tiggo 5X e Tiggo 7 –, segmento mais lucrativo devido ao maior valor agregado, também podem entregar que o subcompacto ficou em segundo plano e pode estar com os dias contados. De acordo com fontes ligadas às concessionárias, a Caoa Chery já não estimula seus revendedores a fazerem pedidos do QQ e tampouco estão atendendo essa demanda.


Ao longo de 2018, a média mensal de emplacamentos do carrinho ficou em 264,6 unidades. Nos seis primeiros meses de 2019, esse número caiu para 185,6 unidades, o que corresponde a 70% da média do último ano. O fato das vendas mensais terem despencado a partir de março – os emplacamentos mensais caíram de 246 (na média de janeiro e fevereiro) para 155,5 (média dos quatro meses seguinte), uma redução de 37% – tornam a situação ainda mais crítica.

De acordo com o fabricante, a produção do Chery QQ segue normal na planta de Jacareí, no interior de São Paulo, mas lembramos que é extremamente raro uma montadora anunciar o fim de um produto antes de se livrar dos estoques (como a Ford exemplarmente fez com o Focus, admitindo o encerramento da fabricação do produto na Argentina seis meses antes).

Quanto à queda nas vendas, a marca alega que, com o aumento de seu portfólio, as estratégias de marketing estão mais voltadas para os novos produtos. Isso é verdade, porém o QQ é um modelo que se vende praticamente sozinho, devido ao seu preço abaixo da média. Uma pessoa que entra em uma concessionária da marca chinesa procurando um carro na faixa dos R$ 30 mil, dificilmente sairá dirigindo um Tiggo 2, que custa o dobro (a partir de R$ 60.490), muito menos um Tiggo 5X (po R$ 86.990) ou um Tiggo 7 (R$ 106.990).

NACIONAL Atualmente, o Chery QQ é o automóvel mais barato do país. No próprio site da marca, o modelo é oferecido por R$ 24.990, mas se trata de uma pequena malandragem, uma jogada de marketing, já que este valor é referente às unidades 18/18, praticamente impossíveis de serem encontradas, assim como as unidades 18/19, anunciadas por R$ 27.490. Fato é, o preço real da versão mais em conta do Chery QQ 19/19 é de R$ 29.690. Importada, a geração atual do modelo foi lançada no Brasil em 2015. No ano seguinte o subcompacto passou a ser fabricado no Brasil.

O QQ tem motor 1.0 de três cilindros – com até 75cv de potência e 10,1kgfm de torque (quando abastecido com etanol) – e câmbio manual de cinco marchas. Além das dimensões compactas – 3,56 metros de comprimento, 1,62m de largura, 1,52 de altura e 2,34m de entre-eixos –, chama a atenção a abertura da tampa do porta-malas, onde apenas o vidro traseiro se move. O compartimento tem apenas 160 litros de volume. São três versões disponíveis, começando pela Smile (com vidros elétricos dianteiros, computador de bordo e ajuste elétrico da altura dos faróis) e chegando até a Act (que traz rodas de liga leve de 14 polegadas, ar-condicionado, direção hidráulica, sensores de estacionamento traseiro e retrovisores com ajustes elétricos).

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade