Economia

Calibrar corretamente pode economizar gastos

Manter regulada a pressão dos pneus garante economia de combustível e é uma das formas de prevenir acidentes

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 06/08/2018 07:49 Alvaro Ferraz


Com a pressão incorreta, o veículo vai forçar de forma desigual algumas partes dos pneus e gerar prejuízos maiores. Foto: Ricardo Fernandes / DP - Com a pressão incorreta, o veículo vai forçar de forma desigual algumas partes dos pneus e gerar prejuízos maiores. Foto: Ricardo Fernandes / DP
Apesar de ser um nome comum entre pilotos e motoristas, a prática de regular a pressão dos pneus muitas vezes é deixada de lado por ser cercada de dúvidas. Entre elas, a quantidade correta de libras a ser colocada. E isso depende. Cada automóvel possui a sua pressão específica, tanto para os pneus dianteiros, quanto os traseiros. E pode variar, por exemplo, de acordo com o peso, local de tráfego e a quantidade de quilômetros rodados. Complicado?

Para quem não é familiarizado com o assunto, à primeira vista até parece difícil. Mas as respostas quanto às dúvidas de calibragem são facilmente achadas no manual do carro. Cada um possui o seu, com suas características e peculiaridades. Vale informar que esse guia contém diversos dados, como o significado das luzes do painel e a quilometragem e tempo corretos para se fazer uma revisão. Ainda a depender do modelo e marca, é possível encontrar informações sobre a pressão dos pneus em adesivos na porta ou mesmo na tampa do tanque.

Recomenda-se fazer a calibragem dos pneus toda semana. No mais tardar, a cada 15 dias, seguindo as recomendações do fabricante. O ideal é calibrar quando os pneus estiverem “frios”. Ou seja, quando não rodou nas últimas 4 horas, ou rodou menos de 3 km, em velocidade baixa. “Há pneus que a calibragem é mais alta, outra mais baixa. O fato é que com a calibragem incorreta, o carro vai puxar, forçar e deixar desigual o pneu, fazendo uma espécie de barriga nele”, adverte o mecânico Bernardino Martins de Sá.

Uma má calibragem reduz a vida útil do pneu. Sem falar que a pressão errada pode causar perda de estabilidade, dificultação na frenagem e pior: um acidente. “Se uma hora você precisar fazer uma curva mais brusca, ou livrar de alguma coisa, os pneus não estando calibrados poderão estourar”, afirma o mecânico. A pressão baixa desgasta a banda de rodagem. Já na situação inversa, de calibragem acima do permitido, o centro do pneu é que fica comprometido.

Com mais de 20 anos de experiência, o mecânico traz outro alerta: com os pneus descalibrados e desgastados, o carro fica mais resistente à rodagem, e consequentemente gasta mais combustível. “Se pegar uma bicicleta e baixar um pneu para andar, você sente que ela fica mais pesada. Já ao estar com a calibragem certa, ela fica mais leve. A mesma coisa é o carro”, compara.

Bernardino ainda atenta para o pneu novo. “É sempre bom dar uma olhadinha, pois a tendência é baixar um pouquinho”, lembra. Também é preciso calibrar o estepe. Afinal, se um pneu der bronca, o suporte deverá cumprir com o seu papel.
 
E você, já conferiu como anda a calibragem dos pneus do seu veículo? Não há mais desculpas. 
 

Tags: picape reestilizada 2017 cerqueira pedro vrum teste amarok volkswagen vw

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
17 de agosto de 2018