Serviço

Fique atento ao uso do acessório que salva vidas

O cinto de segurança veicular é o acessório obrigatório que evita acidentes maiores para o condutor e os passageiros

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/12/2018 12:05 / atualizado em 03/12/2018 12:15 Thays Martins /Diario de Pernambuco


 Observe se o cinto de segurança está encaixando e travando com facilidade no fecho - Paulo Paiva/ DP Observe se o cinto de segurança está encaixando e travando com facilidade no fecho
  
Ao realizar um passeio de carro, antes de seguir pela estrada, o condutor deve colocar o cinto de segurança e certificar-se que todos os passageiros estão devidamente protegidos. Essa ação pode evitar transtornos e danos a saúde em casos de acidentes ou frenagem de emergência, em razão de evitar que o condutor e passageiros, soltos por não utilizar o acessório, se choquem na parte interna do automóvel ou sejam lançados para fora. Além de ser uma ação preventiva, usar o cinto veicular de segurança evita penalizações de trânsito grave, revertidas em cinco pontos na CNH e pagamento da taxa de R$ 195,23. 
 
Para ter noção da importância do componente, em 2015 ocorreu um trágico acidente vitimando o cantor sertanejo Cristiano Araújo, de 29 anos, e a namorada dele, Allana Coelho, 19, em Goiás. A ocasião levantou uma discussão relevante para o mundo automotivo e seus consumidores, pois os dois jovens, vítimas fatais do acidente, não estavam utilizando o cinto de segurança e Allana, por não usar o item de segurança  no banco de trás do carro, foi arremessada a cerca de cinco metros do veículo e morrido na hora.
 
Essa fatalidade reacendeu o debate para o uso do cinto em qualquer ocasião, inclusive no banco de trás do automóvel. Só no último levantamento da Polícia Rodoviária Federal, realizado em 2017, registrou cerca de 3.588 acidentes ocorreram com ocupantes sem cinto, isto é, soltos no veículo, resultando em 132 mortes e 5.370 feridos.
 
Devido aos dados alarmantes constatados, apenas no último ano,  em que houve uma morte a cada três dias, em média, o condutor, assim como os passageiros devem utilizar sempre o item de segurança e tomar alguns cuidados na conservação do cinto, para que o acessório obrigatório possa agir com eficiência.
 
O primeiro cuidado com o cinto é sempre verificar se o item está com a devida pressão, ou seja, se ele recolhe a fita quando o solta e se a fita trava quando é forçada bruscamente. Caso isso não ocorra, o proprietário do automóvel deve realizar a troca da peça, que custa entre 150 e 200 reais, a depender do modelo do veículo, e pode ser feita em casa ou com um mecânico. 
 
Já o segundo componente a ser verificado o funcionamento é o fecho, pois a peça deve encaixar e travar com facilidade, assim como também destravar facilmente, pois em caso de acidentes é necessária a saída rápida do carro. A faixa de preço do fecho é entre 35 e 70 reais, de modelos populares no mercado. Por último, sempre verifique as condições da fita do cinto de segurança, se ela está desfiando ou parcialmente rasgada. 
 
Todos esses componentes devem ser revisados após uma colisão, tendo em vista que sua ação foi realizada ao limite e pode sair danificado do acidente, pondo em risco a vida do condutor e passageiros. Caso necessite de troca, fique atento para as recomendações e indicações presente no manual do seu veículo para poder realizar a substituição por componentes compatíveis com o modelo e marca do carro.

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
18 de dezembro de 2018