Publicidade

Estado de Minas DUAS RODAS

Motocicletas de entrada

Conheça as cinco motocicletas, acima de 100 cilindradas, que possuem o custo benefício mais atrativo do mercado


postado em 11/04/2019 11:01 / atualizado em 11/04/2019 13:30

 
Quando falamos de motocicleta, os pontos negativos já são expostos por familiares e amigos. Riscos e perigos estão presentes ao pilotar uma motocicleta, mas também acompanham os motoristas trafegam com seus compactos, picapes e SUV. Para além dos contras, há aspectos positivos em optar por uma motocicleta como principal meio de transporte. O primeiro deles é o custo benefício que a maioria dos modelos oferecem para seus usuários.  
 
Para quem pensa em trocar o transporte público por uma motocicleta, deve ficar atento para suas demandas de necessidade e quanto você pode investir. Esses dois pontos são primordiais na hora da escolha, para que ela seja bem sucedida e que não crie dores de cabeça no futuro. Outro ponto é não abrir mão de um capacete de qualidade e acessórios de segurança, como luvas e casaco com proteção.  
 
Antes de comprar uma motocicleta, faça um levantamento dos principais trajetos adotados ao longo de sua rotina. Essa ação é importante para entender se, por exemplo, você precisará de um modelo off-road para deslocar-se com mais conforto e segurança ou se uma motocicleta mais simples atenderá suas necessidades para um deslocamento de qualidade.
 
O personal trainer Rafael Pretestato resolveu aderir ao motociclismo, atraído pela economia que as duas rodas proporciona. Com uma média de gastos de R$450 ao mês com combustível para seu carro, Rafael decidiu comprar uma Honda Biz 110i, por ser mais robusta que a POP e mais econômica que outras motocicletas de maior cilindrada.
“Não tive muitas dúvidas, pois já tinha em mente o que eu queria, mas pensei muito no valor da moto, o consumo e manutenção. Também pensei na facilidade da venda caso eu queira pegar uma mais nova no futuro” destacou o personal trainer. Ele conta ainda que ficou surpreso pelo baixo consumo de combustível apresentado pela Biz 110i, “sempre ando no modo economia. Sou cauteloso e costumo andar em 60 km/h, até porque dentro de Recife não dá para correr muito. Abasteço a cada 250 km rodados e sempre tem um litro sobrando no tanque. Então devo fazer uma  média de 60 km com um litro de gasolina”.
 
A partir da motocicleta de entrada, o condutor pode despertar o interesse e paixão pelo mundo das duas rodas. Agora, Rafael está amando a nova experiência como piloto, além da agilidade e economia que a moto está proporcionando-o. Com o carro, ele gastava entre R$400 a R$450, por mês, de combustível, além do custo das manutenções periódicas do veículo. 
 
Ao falar sobre o futuro, o personal trainer é categórico, “penso em manter a motocicleta que possuo para trabalho e adquirir uma mais potente para os momentos de lazer e passeios nos finais de semana”. Com isso, a motocicleta tomou prioridade na vida de Rafael, deixando o carro em terceiro plano em seus projetos para o futuro.
 
A seguir, serão apresentadas as cinco motocicletas mais populares e com os preços sugeridos (sem frete) mais em conta do mercado. 

Honda POP 110i 
Foto: Honda/ Divulgação
Foto: Honda/ Divulgação
A Honda POP 110i é uma motocicleta simples e que cumpre o prometido: garante uma boa mobilidade urbana, dentro de suas limitações. Resistente e compacta, a POP tem o peso pena, cerca de 87 quilos, com tanque que comporta 4,2 litros de gasolina. Seu motor tem exatos 109,1 cilindradas com  7,9 cavalos de potência a 7.250 rpm. O sistema de partida é o mais tradicional possível, o famoso pedal, que tem suas marchas em quatro velocidades e com a troca de marchas para baixo, com o uso da ponta do pé e o calcanhar. 
Na versão 2019, a POP tem novidades no freio e design dos bancos. O modelo está equipado com sistema de freios CBS, que se baseia na ação de frenagem do pedal ser distribuída em ambas as rodas enquanto à manete cabe apenas a ação na roda dianteira. O modelo de entrada da Honda está custando R$ 5.790,00, com três anos de garantia e sete trocas de óleo gratuitas. 

Honda Biz 110i 
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Outra motocicleta 110i é a Honda Biz. Com carenagens diferente da POP, a Biz traz um tom mais moderno com seu design e funcionalidades, como uma tomada de 12V, o câmbio é semi-automático com injeção eletrônica. No quesito segurança, a Biz vem equipada com freios CBS e trava do guidão, para na hora de estacionar dar mais segurança ao proprietário da motocicleta. Outra diferença entre a POP e a Biz é seu sistema de partida, que já é elétrico, e o peso de 97 quilos, 10 quilos à mais que sua irmã menor. O tanque da Biz 110i comporta 5,1 litros de gasolina e ela possui o mesmo sistema de garantia e troca de óleo ofertado para a POP, mas seu preço (sem o frete) é R$ 7.828.


Honda Elite 125 
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Com design moderno, perfeita para os jovens, a Honda Elite 125 estreia no mercado como uma opção de Scooter de entrada da marca, que antes a menor cilindrada eram da PCX 150 e a SH150i. Concorrente direta da Yamaha Neo, a Elite chega ao mercado com tecnologia em seu painel 100% digital, câmbio totalmente automático, iluminação de LED e freios CBS. Na tríade das motocicletas de entrada Honda, a Elite é a mais pesada, com 104 quilos. Mesmo sendo a mais pesada entre a POP  e a Biz, a Elite é compacta, permitindo uma boa mobilidade no trânsito. Atualmente, a Honda Elite 125 está custando R$ 8.250, sem a inclusão do frete. 


Yamaha Neo 125
A primeira motocicleta de entrada da Yamaha fica por conta da Neo. Custando R$ 8.390,00, a moto do segmento Scooter possui câmbio automático e 125 cilindradas 9,8 cv a 8.000 rpm. Seu design é moderno e compacto, com faróis em LED e porta objetos, com espaço para 14 litros. Além disso, a Neo 2019 tem o sistema de freios UBS, que realiza a frenagem combinada, pesa apenas 96 quilos, com capacidade para 4,2 litros de gasolina. Um diferencial do modelo está no painel com função ECO, que indica uma pilotagem mais econômica. 

Yamaha Factor 125i
A Yamaha Factor 125i é uma motocicleta simples, mas que oferece alguns diferenciais que podem pesar na hora da escolha. Seu sistema de freios é o mesmo da Neo, o UBS. O painel da Factor possui a função ECO, com indicador de marcha e totalmente digital. O preço sugerido para o modelo é de R$ 8.590,00. Com uma proposta urbana e diferenciada da Neo, a Factor comporta 15,7 litros de gasolina ou etanol, tem um design mais robusto e com 125 cilindradas e 11 cv a 7.500 rpm, quando abastecida com gasolina e 11,1 cv a 7.500 rpm, quando abastecida com etanol.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade