Publicidade

Estado de Minas CONSCIENTIZAÇÃO

Ford transforma garrafa pet em carpetes

Processo envolve mais de um bilhão dos recicláveis que seriam descartados. Processo já é realizado há mais de 20 anos com o Mondeo


postado em 25/07/2019 08:49 / atualizado em 25/07/2019 08:58

 
Cada EcoSport traz o equivalente a 470 garrafas plásticas em material reciclado na forma de tapetes e carpetes. Foto: Ford / Divulgação
Cada EcoSport traz o equivalente a 470 garrafas plásticas em material reciclado na forma de tapetes e carpetes. Foto: Ford / Divulgação
 
A cada minuto, um milhão de garrafas plásticas são compradas ao redor do mundo, o que dá 526 bilhões por ano, e a maioria acaba descartada em aterros, rios e oceanos. Pensando em uma forma de ajuda a diminuir esse descarte, a Ford encontrou um modo inteligente de reciclar esse material, transformando-o em peças para veículos.

Para se ter uma ideia, cada EcoSport traz o equivalente a 470 garrafas plásticas em material reciclado em forma de tapetes e carpetes. Desde o lançamento da nova geração global do utilitário, em 2012, mais de 650 milhões de garrafas já foram recicladas para esse fim.

A Ford começou a usar plático reciclado em seus veículos há mais de 20 anos, no Mondeo. Hoje, recicla 1,2 bilhão de garrafas PET por ano em todo o mundo para a produção de componentes automotivos, presentes em todos os seus modelos, desde o Ka, Ranger e Edge ST até o Mustang.

Montadora consegue reaproveitar cerca de 1,2 bilhão de produtos que seriam descartados. Foto: Ford / Divulgação
Montadora consegue reaproveitar cerca de 1,2 bilhão de produtos que seriam descartados. Foto: Ford / Divulgação
 
"Hoje os consumidores têm uma consciência maior do dano que o descarte de plástico pode causar no ambiente. Mas há muito tempo trabalhamos com a missão de aumentar o uso de materiais reciclados e renováveis nos nossos veículos", diz Tony Weatherhead, engenheiro de materiais de Ford na Europa.

O processo para transformar plástico em tapetes e carpetes começa com a fragmentação das garrafas e tampas em pequenos flocos. Depois, em empresas especializadas, eles são fundidos a 260°C e extrudados em fibras com a espessra de um fio de cabelo. Essas fibras são então combinadas com outras e passam por um processo têxtil, formando o material que dá origem ao carpete.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade