Publicidade

Estado de Minas GNV

Carros GNV: processo de instalação, vantagens e desvantagens

Carros que utilizam gás natural como combustível chamam atenção por economia e menor emissão de poluentes


postado em 02/08/2019 13:56 / atualizado em 08/08/2019 10:27

O gás natural vem se popularizando cada vez mais entre os mototristas brasileiros(foto: Copergas/Divulgacao )
O gás natural vem se popularizando cada vez mais entre os mototristas brasileiros (foto: Copergas/Divulgacao )
 
Quando o assunto é combustível, temos sempre em mente as três opções: Etanol, gasolina e diesel. O Gás Natural Veicular (GNV) não pode ser esquecido. Uma alternativa eficaz para reduzir a dependência daquele que vamos chamar de tradicionais, além de ser uma fonte menos agressiva ao meio ambiente. Apesar de já estar bem estabelecido no mercado, o kit gás ainda gera muitas dúvidas sobre sua instalação, vantagens e desvantagens. Por isso confira agora como funciona todo o processo e quais os pontos fortes e fracos de ter um carro movido a gás natural:

Antes da instalação, é necessário realizar alguns procedimentos, o proprietário da Auto Gás Recife, Rodrigo Aguiar, esclareceu o processo: 
“Primeiramente, você deve agendar no Detran uma vistoria do veículo no qual você deseja fazer a instalação, a vistoria custa R$ 47,77. Em seguida, é preciso pagar outra taxa, de R$ 32,74, referente à autorização para inclusão do GNV, feito isso, você já pode ir na oficina à sua escolha para realizar a instalação”.

 
Essas vistorias permitem a homologação da alteração junto ao órgão de trânsito, bem como garante o funcionamento de todos os sistemas e componentes. Em caso de reprovação, será emitido o Relatório de Não Conformidades (RNC), que aponta todos os defeitos do veículo, com isso o dono terá 30 dias para reparar os erros e retornar para uma nova vistoria sem nenhum custo adicional.

O próximo passo é a instalação do cilindro, que deve ser realizada em uma oficina credenciada pelo Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro). “As vezes o motorista acaba se deparando com alguns defeitos no carro após a inclusão do GNV, isso pode ser resultado de algum erro na instalação, por isso, é recomendado se certificar da qualidade do serviço oferecido pela oficina antes de levar seu veículo”, afirmou Rodrigo Aguiar.
 
O serviço custa em média R$ 4.000 e leva cerca de 5 horas para ser finalizado. Após a conclusão, o veículo deve ser apresentado a um Organismo de Inspeção (OI) credenciado pelo Inmetro, a inspeção custa em média R$ 275,00 e o proprietário deve portar a autorização do DETRAN, nota fiscal da realização do serviço e o atestado de qualidade do instalador registrado, para a obtenção do Certificado de Segurança Veicular (CSV). Em seguida deve ser realizada a última vistoria pelo Detran, no valor de R$ 47,77, na qual haverá uma análise da documentação, da instalação do Kit Gás, dos equipamentos instalados e dos itens de segurança do veículo, tudo deve estar dentro das normas do Inmetro.

 
E por fim, é necessário agendar uma solicitação para alterar a documentação do veículo com a inclusão do novo combustível GNV, que para carros somente a Gasolina fica Gasolina/GNV e veículos Gasolina/Etanol ficará Gasolina/Etanol/GNV.  Para isso você deve apresentar todos os documentos adquiridos durante o processo e pagar uma taxa de R$ 86,03.

Vantagens e desvantagens
Os carros GNV possuem vantagens interessantes, a primeira, e talvez a mais popular, é a economia. Em Pernambuco, 1m³ de gás custa em média R$ 2,69, valor menor do que os combustiveis convencionais. Em um levantamento realizado pela Comgás, é mostrado que o custo do quilômetro rodado com GNV é de R$ 0,17, contra R$ 0,40 da gasolina e R$ 0,41 do etanol, ou seja, a economia pode chegar a 58% e 59% respectivamente. Em valores, um motorista que utiliza um carro movido a GNV paga apenas R$ 17 para rodar 100 km, enquanto o que utiliza gasolina gasta R$ 40. Além da redução do preço do combustível, o IPVA também recebe um desconto que varia de acordo com o estado. 

 
Outra vantagem é que o gás natural tem uma emissão de gases poluentes 15% menor que o etanol e 20% menor do que a gasolina, já que sua combustão acontece com excesso de ar, liberando mais água do que gás carbônico. Além disso, o gás natural também é mais seguro. Por ser um combustível mais leve que o ar e eventuais vazamentos dissipam-se rapidamente, ao contrário do combustível líquido que vai se acumulando.

 
Mas nem tudo é perfeito, o GNV também possui algumas desvantagens que devem ser levadas em consideração. A primeira e mais óbvia é a perda de espaço no porta-malas, que terá de ceder permanentemente um espaço considerável para ocupar os cilindros. Outro contra fica em relação à perda de 4% da potência do motor, isso ocorre devido à menor densidade do GNV em relação aos outros combustíveis. Além disso, por conta dos cilindros, o carro pode ficar mais pesado.
Também existem algumas desvantagens financeiras, caso seu carro seja 0km, ele perderá a garantia de fábrica por conta de “mudanças na estrutura”. Ainda na parte financeira, o carro equipado com GNV sofre maior desvalorização para venda, pelo fato de que após a instalação dos cilindros, o veículo se torna modificado, ou seja, não é mais original de fábrica. 

 
Cuidados ao abastecer
Alguns cuidados merecem ser tomados na hora de abastecer (foto: Shilton Araujo/Esp.DP )
Alguns cuidados merecem ser tomados na hora de abastecer (foto: Shilton Araujo/Esp.DP )
 
Apesar de ser um combustível mais seguro, é necessário seguir algumas regras para sua segurança na hora de abastecer. Pressões maiores significam maior risco de danos graves e diminuição da vida útil do kit, de acordo com a Resolução ANP no. 34, de 26/12/06, os postos revendedores de GNV devem informar de maneira clara ao consumidor qual a pressão máxima para o abastecimento. Outros detalhes também merecem atenção, como evitar fumar ou usar isqueiros ou fósforos na zona de abastecimento, verificar se a mangueira de abastecimento foi devidamente desconectada, e pedir para outros ocupantes aguardarem em local seguro, afastado do veículo.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade