Publicidade

Estado de Minas SEDÃ

Toyota Corolla 2020 já tem data de estreia

Modelo será apresentado ao público na primeira semana de setembro e chega nas concessionárias no dia 12 do mesmo mês


postado em 02/08/2019 18:00 / atualizado em 05/08/2019 16:58

Modelo terá as mesmas linhas do sedã europeu. Foto: Toyota / Divulgação
Modelo terá as mesmas linhas do sedã europeu. Foto: Toyota / Divulgação

O novo Corolla 2020 capítulo final. O lançamento confirmado para a primeira semana de setembro com reserva de local no Guarujá, litoral de São Paulo. Descobrimos que o carro chegará no dia 12 do mesmo mês às concessionárias para o VIP day nacional. A montadora vai lançar as três versões com direito a nova estrela que será o modelo mais completo e híbrido do sedã. No topo da gama, Altis, a estreia do Toyota Safety Sense e do propulsor híbrido 1.8 aspirado de ciclo Atkinson. O motor será flex de 101 cv de potência e vai trabalhar em conjunto com o elétrico de 72 cv. Os dois juntos devem gerar uma combinação próxima ou levemente superior aos 125 cv. A transmissão automática CVT está no cardápio. 

A Toyota fechou a fábrica para manutenção de equipamentos e troca de matrizes para montagem do novo modelo. As revendas deixaram de receber as unidades do atual modelo que saiu de linha. Sem encomendas.A confirmação do início de produção está garantida para o próximo dia 19, no retorno ao trabalho e na largada do ramp-up da planta. O termo significa a fase inicial da produção industrial que visa a venda de um novo produto, nesse caso, o Corolla 2020. A montadora também elevará o padrão do GLi, hoje seu carro de entrada no segmento médio. O sedã vai explorar a mecânica 2.0 com acabamento inferior ao XEi, lógico. Mas as apostas de lançamento estarão volta para as duas versões do Altis. A pura (digo básica em rel a ç ã o a lu xo) que entregará um pouco mais de luxo, em relação ao intermediário e a premium.

Analistas do mercado estudaram as possibilidades quanto aos preços que podem ser apresentados nos primeiros dias de setembro. O Corolla GLi vai se manter na casa abaixo dos três dígitos e aposta-se e m valor próximo dos R$ 99 mil. O XEi cerca de R$ 9 mil a mais e o Altis na casa dos R$ 120 mil. O Altis com o pacote premium pode custar um valor bem semelhante ao do Prius 2019. Minha aposta seria entre R$ 124 mil a R$ 127 mil.
 
Novo Corolla 2020 já terá o novo Toyota Safety Sense na versão SX. Foto: Toyota / Divulgação
Novo Corolla 2020 já terá o novo Toyota Safety Sense na versão SX. Foto: Toyota / Divulgação
 

O que é o Toyota Safety Sense (TSS)?

Sistema já é oferecido no novo RAV4 Hybrid e incorpora o pacote de segurança ativa na versão SX, garantindo proteção à bordo. O TSS conta com um radar de ondas milimétricas combinado com uma câmera monocular para detectar uma variedade de perigos e alertar o motorista. Portanto, segurança virá em primeiro lugar.

Pré-colisão frontal (PCS)

O pré-colisão frontal do Toyota Safety Sense usa a câmera e o radar de ondas milimétricas para detectar veículos que circulam nas ruas e estradas. Se o sistema detectar a possibilidade de uma colisão, ele alerta o motorista através de avisos sonoros e visuais e ativa a assistência de frenagem para evitar ou reduzir danos causados por elas

Alerta de mudança de pista com condução assistida (LDA)

Em determinadas circunstâncias, o Sistema de Alerta de Mudança de Faixa (Lane Departure Alert System – LDA) é projetado para detectar desvios de pista quando as linhas divisórias são visíveis. Processo que inclui a funcionalidade de condução assistida. Quando é ativado e se detecta que está se desviando inadvertidamente, o sistema aplica pequenos movimentos de correção no volante para ajudar a manter o veículo na pista.
 
Modelo atual deixou de sair da fábrica, que passou por manutenção para receber a nova versão. Foto: Toyota / Divulgação
Modelo atual deixou de sair da fábrica, que passou por manutenção para receber a nova versão. Foto: Toyota / Divulgação
 

Faróis altos automáticos

Faróis altos automáticos (AHB) são projetados para ajudar o motorista a ver mais claramente à noite sem distrair outros motoristas. O AHB trabalha com uma câmera a bordo para detectar os faróis dos veículos que se aproximam e os faróis traseiros dos veículos na frente e alterna automaticamente entre os faróis altos e baixos em conformidade.

Controle de cruzeiro adaptativo (ACC)

É semelhante ao “cruise control” que permite a condução a uma velocidade constante pré-determinada. O ACC usa o radar de ondas milimétricas montado na grade frontal e a câmera projetada a bordo para detectar veículos, calcular sua distância e ajustar a velocidade para ajudar a manter uma distância predeterminada de veículo para veículo.
 
Interior 
 
Vale lembrar que o Corolla 2020 terá um painel com nova central multimídia flutuante, como você conhece no Fiat Argo, por exemplo, ou até mesmo nos carros da Audi. A tela vai ser bem diferente do que é hoje, fixada no centro do painel, e nós já mostramos isso. A função de maior utilidade do equipamento será o uso dos APPs CarPlay e Android Auto.

Finalmente os japoneses do Brasil convenceram a matriz no Japão que não adianta remar contra a onda da tecnologia. A conta-corrente contra o RAV4 está negativa. O novo SUV híbrido ficou devendo a história que deverá ser atualizada no começo do próximo ano.

A Toyota entende que nessa corrida silenciosa, pela busca dos dados e das informações fornecidadas gratuitamente pelos clientes, Apple e Google saem na frente e flertam com "nossos caminhos" o tempo todo. E isso já acontece com os smartphones. 

Em junho, durante a descoberta da nova geração do Hyundai HB 20, na Coréia do Sul, a montadora declarou que não tem planos de usar plataformas associadas a Google, Amazon ou Apple para compartilhar dados sobre o carro e seus trajetos. O vice-presidente do Laboratório de Pesquisa de Inteligência Artificial da Hyundai, Jeong Hee Kim, foi taxativo em afirmar que a montadora terá o seu próprio caminho e vai gerir por conta própria os dados dos motoristas de seus carros. Os Sul-coreanos contarão na frente de todo mundo da tecnologia 5G,
realidade local.

A Toyota está longe disso? Não sabemos ao certo mas é fato que incomoda entregar a experiência do usuário ao "concorrente" diante da mobilidade. Um bom número de condutores utiliza o celular como ferramenta de trabalho ou fonte de entretenimento no trânsito. Uma perigosa realidade urbana amenizada por centrais inteligentes, que devem, no mínimo, espelhar os telefones. 

Em 2018 o Ministério da Saúde indicou em pesquisa que um em cada cinco brasileiros admite utilizar o telefone enquanto dirige. Cá pra nós é só olhar do lado de fora da janela porque nem mesmo os motociclistas escapam da estatística. Hoje, a infração que antes era grave passou a ser gravíssima e a multa é de R$ 293,47 pelo uso do aparelho, mesmo que você esteja parado no semáforo esperando o sinal abrir. 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade