Ford Ka Freestyle traz conjunto mecânico eficiente e muito conteúdo, mas vale R$ 70 mil?

Testamos a versão aventureira do hatch compacto, que combina motor 1.5 de três cilindros e câmbio automático de seis marchas. Suspensão elevada ajuda a transpôr obstáculos urbanos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 03/12/2018 10:34 / atualizado em 03/12/2018 10:53 Pedro Cerqueira /Estado de Minas

Edésio Ferreira/EM/D.A Press

Antes denominada Trail, a versão aventureira do Ford Ka passou a se chamar Freestyle a partir de sua reestilização, em agosto. Como vários fabricantes vêm fazendo com seus compactos aventureiros, a Ford teve a infelicidade de chamar o Ka Freestyle de SUV, o que, além de ser propaganda enganosa, decepciona quem vê o modelo franzino. Apesar dos para-choques encorpados, molduras plásticas nas caixas de roda, suspensão elevada e rack de teto que caracterizam a versão, o modelo em teste tem porte mirrado. Mas, tirando a pretensão de utilitário-esportivo, o visual do Ka Freestyle ficou caprichado.


O interior traz painel todo em plástico de duas cores, preto e marrom, esta última um pouco exagerada para um carro tão compacto. Os bancos mesclam tecido e couro. Os tapetes de borracha tipo bandeja são práticos para proteger o carpete de um calçado cheio de lama. O revestimento das colunas e o tecido do teto em preto podem até deixar o interior esportivo, mas dificultam a visualização de objetos durante a noite. Em compensação, todos os comandos são iluminados. No painel de instrumentos falta a opção de velocímetro digital. Também fazem falta vidros elétricos tipo um toque para todas janelas (disponível apenas para o motorista) e a função de fechar os vidros quando se tranca o veículo. O interior traz bons porta-trecos.

O espaço interno é bom para um compacto, mas sem sobrar nada para excessos. O banco traseiro leva com conforto apenas dois passageiros, mas existem apoios de cabeça e cintos de segurança de três pontos para todos. O porta-malas tem espaço condizente com um compacto, abrigando o estepe de uso temporário. Ali também existe tapete de borracha tipo bandeja, além de bom acabamento e iluminação. Para carregar mais coisas, o encosto do banco rebate fracionado.

Versão aventureira tem para-choques encorpados, molduras nas caixas de roda e rack de teto - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Versão aventureira tem para-choques encorpados, molduras nas caixas de roda e rack de teto

RODANDO O motor 1.5 de três cilindros tem bom fôlego mesmo em baixas rotações, o que melhora o consumo de combustível. Se quiser optar por uma direção mais dinâmica, basta pisar fundo e “trabalhar” com rotações mais altas. Se for adotar este perfil de condução, o modo esportivo do câmbio é o ideal, mas vale lembrar que o consumo aumentará e o motor será bem mais ruidoso.

Altura em relação ao solo de 18,8cm ajuda a transpôr os obstáculos urbanos - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Altura em relação ao solo de 18,8cm ajuda a transpôr os obstáculos urbanos

A gestão do câmbio é eficiente e logo reconhece a vontade do motorista, mas a opção de trocas manuais deixa desejar. É que as mudanças só podem ser feitas por um botão na alavanca de câmbio, o que é impreciso. Se equipar o veículo com aletas for pedir demais, ao menos deveriam ter deixado “cambiar” por movimentos da alavanca.

Interior tem painel em dois tons, preto e marrom, além de tela flutuante do sistema multimídia - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Interior tem painel em dois tons, preto e marrom, além de tela flutuante do sistema multimídia

Com a suspensão elevada, o modelo tem 18,8cm de altura em relação ao solo, que mais ajuda a transpôr obstáculos típicos da cidade, como quebra-molas, buracos e entradas de rampa. Apesar de ser mais alta, a suspensão dá confiança nas curvas, mas repassa as irregularidades para o habitáculo um pouco além da média.

Porta-malas é pequeno, com volume de 257 litros, mas condizente com o tamanho do veículo - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Porta-malas é pequeno, com volume de 257 litros, mas condizente com o tamanho do veículo

SEGURANÇA Dos compactos aventureiros, o Ka Freestyle é o que tem o pacote mais completo, com destaque para os seis airbags, controles de tração e estabilidade, assistente de partida em rampa, rodas de liga leve de 15 polegadas e sistema multimídia. Nesta reestilização, o modelo recebeu melhorias em sua estrutura que subiu sua nota no teste de impacto do Latin NCAP de nenhuma para três estrelas quanto à proteção aos adultos, desempenho que ainda pode melhorar. Com tantos itens de segurança a mais que a versão básica testada pelo programa de avaliação, este aventureiro certamente teria uma performance superior.

Banco traseiro traz segurança básica para todos os passageiros, mas acomoda com conforto apenas dois - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Banco traseiro traz segurança básica para todos os passageiros, mas acomoda com conforto apenas dois

CONCORRENTES Não resta dúvida que pagar quase R$ 70 mil em um hatch compacto, ainda que bem equipado, não é o que podemos chamar de um bom negócio, mas o preço do Ka Freestyle está na média dos concorrentes diretos: o HB20X 1.6 AT Premium (R$ 71.700) é um pouco mais caro, levando vantagem nas rodas de 16 polegadas e ar-condicionado digital, mas devendo muito em itens segurança; já o Chevrolet Onix Activ 1.4 AT (R$ 68.490) tem o mesmo preço do Ka, porém não traz nada a mais que se destaque; por fim, o Renault (Sandero) Stepway Dynamique 1.6 Easy'R (R$ 66.190) é um pouco mais barato, mas traz a grande desvantagem do câmbio automatizado de uma embreagem (com trocas de marcha desconfortáveis e enorme custo de manutenção), que está com os dias contados, além de rodas de aço de 16 polegadas com calotas, ar-condicionado digital e controle de estabilidade.


CONECTIVIDADE
Versão aventureira traz a central multimídia Sync 3, com tela flutuante de 6,5 polegadas. O sistema espelha o smartphone no display do veículo (compatível com Android Auto e Apple CarPlay), permitindo o uso de aplicativos como o Waze, usado para navegação. Não há GPS nativo. As mídias disponíveis são rádio, Bluetooth e duas entradas USB. Tanto as mídias quanto a telefonia podem ser comandadas por voz.


Motor 1.5 de três cilindros tem desempenho razoável - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Motor 1.5 de três cilindros tem desempenho razoável

FICHA TÉCNICA
MOTOR
Dianteiro, transversal, três cilindros em linha, 1.497cm³ de cilindrada, com potências máximas de 128cv (gasolina) e 136cv (etanol) a 6.500rpm e torques máximos de 15,6kgfm (gasolina) e 16,1kgfm (etanol) a 4.750rpm

TRANSMISSÃO
Tração dianteira e câmbio automático de seis marchas

SUSPENSÃO/RODAS/PNEUS
Dianteira, independente, do tipo McPherson, com amortecedor com stop hidráulico; e traseira, twist-beam, com eixo de torção/ liga leve de 6 x15 polegadas / 195/55 R15

DIREÇÃO
Do tipo pinhão e cremalheira, com assistência elétrica

FREIOS
Discos ventilados na dianteira e tambores na traseira, com ABS

CAPACIDADES
Peso, 1.135 quilos; tanque, 51,6 litros; de carga (passageiros e bagagem), 405kg


Rodas de 15 polegadas são de série na versão - Edésio Ferreira/EM/D.A Press Rodas de 15 polegadas são de série na versão

EQUIPAMENTOS


DE SÉRIE
Airbags frontais, laterais e de cortina; controle eletrônico de estabilidade e tração; assistente de partida em rampa; assistente em frenagem de emergência; barras de proteção laterais; cintos de segurança traseiros laterais e central de três pontos; faróis com temporizador; faróis de neblina dianteiros; freios ABS com EBD; Isofix; retrovisores com ajuste elétrico; sensor de estacionamento traseiro; sistema anticapotamento; aerofólio traseiro; faróis e lanternas escurecidos; Kit Freestyle (apliques exclusivos e molduras de rodas); lavador e limpador do vidro traseiro; rack de teto; ajuste de altura do banco do motorista; ajuste de altura do volante; aquecedor; ar-condicionado; bancos parcialmente revestidos em couro; banco traseiro bipartido; desembaçador do vidro traseiro; para-sóis com espelho de cortesia; porta-malas com abertura elétrica; tapetes de borracha; vidro elétrico do motorista com sistema um toque; vidros elétricos dianteiros e traseiros; quatro alto-falantes; computador de bordo; sistema multimídia Sync 3.

OPCIONAIS
Pintura perolizada


QUANTO CUSTA?
O Ford Ka Freestyle 1.5 automático é vendido a partir de R$ 68.490. Com a pintura perolizada (R$ 1.350), unidade testada custa R$ 69.840.



NOTAS

Desempenho 8
Espaço interno 7
Porta-malas 7
Suspensão/direção 7
Conforto/ergonomia 7
Itens de série/opcionais 8
Segurança 9
Estilo 8
Consumo 8
Tecnologia 8
Acabamento 7
Custo/benefício 7

Tags: teste vrum ford ka freestyle cerqueira

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
04 de agosto de 2018
30 de julho de 2018
23 de julho de 2018
15 de julho de 2018
09 de julho de 2018