Toyota Hilux SRX: testamos a versão top de linha da líder das picapes médias

Mesmo custando quase R$ 200 mil, a japonesa segue vendendo bem

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 10/01/2019 19:03 / atualizado em 10/01/2019 19:26 Geison Guedes - Especial para o Correio /Especial para o Correio

Geison Guedes/Esp. CB/D.A Press


O design foi o foco do facelift do meio de vida da Toyota Hilux SRX.  As modificações da linha 2019 foram poucas. A principal alteração ocorreu na grade frontal, que agora conta com barras horizontais pretas e a SRX conta com uma moldura cromada e entradas de ar maiores. O conjunto óptico também foi atualizado, com uma leve mudança nos faróis e uma mais brusca nas luzes de apoio. Além disso, a top de linha passa a ter rodas de 18 polegadas e conta com adesivos alusivos ao 50º aniversário da japonesa.

No interior, a grande novidade é o uso massivo de preto, do teto aos bancos. Os detalhes, que antes eram cromados ou imitavam aço escovado, passam a ser escuros. Além disso, o painel de instrumentos foi levemente modificado, e agora conta com fundo branco e não mais azul. De resto, o desenho é o mesmo da linha 2018, o que é um dos maiores pontos fracos da picape. Resumindo, o desenho continua burocrático, o visual interno é muito ultrapassado.

Até hoje mantém o relógio digital no estilo anos 1990. A manopla do câmbio também ficou parada no século passado. Pelo menos o acabamento é bem-feito, não há rebarbas, nem peças mal-encaixadas. Mas existe outro problema: a qualidade dos materiais. Mesmo para uma picape, os plásticos não deveriam ser tão duros. Afinal, estamos falando de um carro de quase R$ 200 mil. O espaço é como de qualquer outra do segmento: leva até cinco pessoas com relativo conforto.

Apesar disso, a picape é campeã de vendas da categoria, seguida da Chevrolet S10 e da Ford Ranger. A liderança é folgada em relação à maior concorrente. É preciso observar as particularidades de cada segmento do mercado automotivo. Enquanto os SUVs compactos têm uma disputa acirrada entre três modelos, os sedãs médios se assemelham às caminhonetes, com uma larga diferença entre o número um em vendas e o segundo colocado. No segmento das picapes médias, a concorrência é mais homogênea e os destaques são eventuais.

A Toyota Hilux ficou com o pódio pelo terceiro ano consecutivo, emplacando mais de 10 mil a mais que a rival americana, que mais uma vez terminou em segundo lugar. A japonesa recebeu o facelift de meio de geração no segundo semestre do ano passado, basicamente com mudanças estéticas. Testamos a versão topo de linha da picape, a SRX. Que, mesmo custando R$ 196.990, continua vendendo bem mais que as outras.

 

Equilibrada 

Geison Guedes/Esp. CB/D.A Press


O modelo conta com uma boa lista de equipamentos. Ela vem com faróis de acendimento e regulagem automáticos, luz de circulação diurna e conjunto óptico em LED, bancos perfurados em couro nobre, computador de bordo com tela em TFT de 4,2 polegadas, cruise control, vidros, travas e retrovisores elétricos, central multimídia com tela de sete polegadas, isofix, ar-condicionado digital, banco do motorista com ajustes elétricos, estribos laterais, retrovisores internos eletrocrômicos e externos retráteis, saída de ar para os bancos traseiros, abertura das portas e partida sem a chave, airbags laterais e de cortina, assistentes de descida, reboque e subida, controles de tração e estabilidade e central multimídia com TV e conexão bluetooth.

Mesmo com um bom nível de equipamentos, a Hilux tem seus percalços. O painel de instrumentos, por exemplo, conta com um bom computador de bordo, mas falta um velocímetro digital; o analógico empobrece a picape. O ar-condicionado, mesmo digital, não é dual zone. A central multimídia dá a impressão de ter sido instalada depois, como um acessório, e não como um item de série. Além disso,  é de difícil manuseio, precisa de um certo tempo para se adaptar. Falta conexão com smartphone, não tem espelhamento e a TV funciona com dificuldade.

Força bruta está presente

Geison Guedes/Esp. CB/D.A Press


Para o conjunto mecânico, a Toyota não fez nenhuma alteração. A SRX mantém o 2.8 diesel de 177 cavalos e 45,9kgfm de torque, com câmbio automático de seis velocidades, tração 4x4 e direção hidráulica — outro ponto negativo: estamos em 2019 e a japonesa não conta com direção elétrica. Na cidade, a picape é um verdadeiro gigante, com seus 5.330mm além do volante pesado, é difícil manobrá-la, sendo preciso um bom espaço.

Por ser turbo diesel, ela conta com o delay natural deste tipo de propulsor. Até a turbina encher, é necessário uma certa calma. Mas, com ela cheia, a resposta é boa e o veículo acelera bem, pelo menos vazia. Claramente, não tem a mesma força que a de outras concorrentes, que contam com motores mais fortes e modernos. O câmbio não compromete, realiza as trocas sem trancos, de maneira confortável. Um dos grandes pontos negativos da japonesa é que ela sacoleja muito no asfalto. Para o uso urbano, no dia a dia, o movimento incomoda se for preciso passar muito tempo no interior.

Geison Guedes/Esp. CB/D.A Press

No entanto, o mesmo não ocorre no fora de estrada. É na terra que a Hilux mostra toda a capacidade. A picape foi feita para andar longe do asfalto. Ela para de quicar, a suspensão trabalha bem em terrenos acidentados. O sistema 4x4 é um dos melhores — senão o melhor — do segmento. Ela consegue superar obstáculos mais tranquilamente que outras caminhonetes do gênero. No teste que fizemos, percorremos áreas alagadas, subidas e descidas com cascalho solto e com valas fundas. Em nenhum momento houve necessidade de ativar a marcha reduzida, apenas o modo 4x4.

Ficha técnica

  • Motores: 2.8 de 177cv a rpm e torque de 45,9kgfm a rpm
  • Dimensões: 5.330mm comprimento; 1.855mm largura; 1.855mm altura e 3.085mm distância entre-eixos;
  • Transmissão: automática de 6 velocidades
  • Direção: hidráulica
  • Capacidade de carga: 1.000kg
  • Suspensão: independente na dianteira e eixo rígido na traseira
  • Freios: a disco nas quatro rodas
  • Consumo: 8.4km/l
  • Preço: R$ 196.990
Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
17 de janeiro de 2019
16 de janeiro de 2019