Lançamento

T-Cross chega ao Brasil só em abril

Volkswagen coloca na jogada um novo SUV que vem, de entrada, com motor 1.0 e 128 cavalos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.
postado em 29/10/2018 13:25 Jorge Moraes /Diario de Pernambuco


Jorge Moraes/ DP


São Paulo - A espera finalmente chegou ao fim. Pelo menos por enquanto. A Volkswagen revelou o T-Cross que chegará ao mercado brasileiro em abril de 2019. O modelo foi apresentado simultaneamente no Brasil, Europa e na China e será a atração do Salão do Automóvel, que ocorre entre 8 e 18 de novembro. O T-Cross terá fabricação em São José dos Pinhais (PR) e utilizará a plataforma MQB de Polo e Virtus. Quanto ao preço? Deverá ficar um pouco abaixo do Honda HR-V, que parte de R$ 92,5 mil.
 
O T-Cross brasileiro é um pouco maior que o “T-Cross da Europa”, mas, no geral, conserva as mesmas características. O SUV da VW será concorrente direto do Jeep Renegade, assim como do Honda HR-V. Outros concorrentes do T-Cross são são o Ford EcoSport e o Nissan Kicks, recém-chegado no grupo dos SUVs.  
 
O modelo estará disponível com motor 1.0 de três cilindros e 128 cavalos de potência. A outra versão conta com motor 1.4 turbo de quatro cilindros e 150 cavalos de potência, mas ambas as versões serão equipadas com câmbio de seis marchas, e, por enquanto, só vi espaço para o automático. No T-Cross Highline, o teto solar panorâmico e o som Beats é opcional. 
 
O primeiro SUV produzido pela Volkswagen do Brasil promete mexer nos padrões do segmento, disse o CEO da empresa na América Latina, Pablo Di Si. Um carro global, que traz alterações para o gosto e perfil dos clientes da América Latina, reforçando a estratégia da personalização. 
 
O T-Cross nacional traz mudanças em seu design, maior espaço interno, é mais alto que o  europeu, conectado e cheio de tecnologia, como o manual cognitivo, que fez sua estreia no Virtus. Gostou do teto preto? Eu também. O biton é tendência global para os crossovers se tornarem menos caretas e mais esportivos. Receita que deu certo no Kicks e Captur e até mesmo no Volvo XC40. 
 
A fábrica de São José dos Pinhais (PR) recebeu R$ 2 bilhões em investimentos e faz parte do plano de ação da marca para a produção dos cinco novos SUVs a serem lançados pela Volkswagen no país até 2020.

CONECTIVIDADE
 
Para se destacar no segmento, o SUV trará também um  painel totalmente digital, com seletor de perfil de condução, Controle de Estabilidade (ESC) de série e bloqueio eletrônico diferencial, que é acionamento no freio da roda com menor tração, para transferir o torque para a roda com maior tração, proporcionando assim melhor eficiência à saída do veículo.
 
Para não deixar, tanto os passageiros quanto o condutor sem carga em seus aparelhos eletrônicos, o automóvel possui quatro entradas USB, inclusive para o banco traseiro, iluminação da cabine em LED e acabamento com apliques no painel. O freio de estacionamento não é eletrônico, como no Tiguan. Seguiu o padrão tradicional da alavanca.
 
No quesito segurança, a boa visibilidade fica por conta da luz de condução diurna (DRL) em LED, integrada ao farol de neblina, que equipa todas as versões disponíveis. Haverá oferta de faróis full-LED para uma versão do T-Cross, em que o modelo terá luz de condução diurna encontrada na própria carcaça do farol. Além disso, o modelo ainda conta com seis airbags.

RAMPAS
 
O T-Cross é equipado com controle de assistência de partida em rampa, que é acionado em inclinações acima de 5%, o sistema mantém o veículo freado por até 2 segundos, após o motorista aliviar o pedal do freio. Os freios são liberados progressivamente durante a aceleração, permitindo a partida do veículo com mais conforto e tranquilidade em rampas. 

Encontre seu veículo

Veículos

Últimas notícias

ver todas
19 de novembro de 2018

Queremos sua ajuda para deixar a experiência no VRUM ainda melhor! Participe Participe